Início Informações O que faz uma companhia aérea 'transportadora de bandeira'?

O que faz uma companhia aérea ‘transportadora de bandeira’?

O que faz uma companhia aérea ‘transportadora de bandeira’?

 

O que faz uma companhia aérea 'transportadora de bandeira'?
O que faz uma companhia aérea ‘transportadora de bandeira’?

 

A maioria dos países possui uma companhia aérea que é frequentemente apelidada de ‘transportadora de bandeira’. Com o surgimento de várias companhias aéreas populares baseadas no mesmo país, esse termo está começando a ficar mais acinzentado.

 

As transportadoras de bandeira eram inicialmente de propriedade do Estado ou, pelo menos, apoiadas pelo governo, durante um período em que os custos de operação de forma independente eram altos demais. Também era do interesse dos governos ter uma companhia aérea que representasse seu país.

 

 

Quer receber as promoções do Trechos e Milhas no seu Whatsapp? Clique aqui e se cadastre! É grátis!

 

 

Orgulho nacional

 

Em 1944, 54 representantes de diferentes países se reuniram como parte da Convenção de Chicago. Aqui, a idéia de países com suas bandeiras carregadas com uniformes de aeronaves em todo o mundo começou a atrair apelo.

 

Essas operações freqüentemente perdiam e ocupavam grande parte dos orçamentos do governo. No entanto, as autoridades nacionais ainda mantinham as companhias aéreas vivas, pois achavam que isso ajudava a legitimar seus países no exterior.

 

Devido às relações crescidas, as transportadoras de bandeira ainda continuavam recebendo apoio dos governos, mesmo após o surgimento de outras companhias aéreas independentes.

 

Essas companhias aéreas nacionais são frequentemente usadas por motivos políticos e econômicos. Isso é perceptível em regiões sensíveis, com companhias aéreas como a El Al de Israel e a Middle East Airlines do Líbano permanecendo sob controle do estado.

 

 

El Al tem um papel importante na política externa de Israel devido à delicada situação na região do país. Foto: Mark Harkin via Wikimedia Commons
El Al tem um papel importante na política externa de Israel devido à delicada situação na região do país. Foto: Mark Harkin via Wikimedia Commons

 

 

Deixando um legado

 

Mesmo depois de ganhar autonomia, certas companhias aéreas continuam a ser apelidadas de “transportadoras de bandeira” devido à sua popularidade e seu nome patriótico.

 

A British Airways ainda é chamada de transportadora de bandeira do Reino Unido, apesar do estado ter renunciado à propriedade em 1987. A companhia aérea é tão popular que a Virgin Atlantic lançou um desafio para se tornar a segunda transportadora nacional do Reino Unido atrás da BA.

 

Algumas companhias aéreas estão sujeitas à nacionalização apenas por causa da política econômica de um país. Isso pode ser visto na Air China, que opera com o apoio de empresas pertencentes ao governo da China.

 

Outros países possuem mais de uma transportadora de bandeira. É o caso dos Emirados Árabes Unidos, com Etihad Airways e Emirates operando de Abu Dhabi e Dubai, respectivamente.

 

Essas marcas fazem muito mais do que apenas obter receita com a venda de passagens aéreas. Essas companhias aéreas também ajudam a impulsionar o turismo, o comércio e as relações públicas no país por meio de extensos modelos de negócios.

 

Companhias aéreas como a Emirates desempenham um papel importante na economia nacional de um país. Foto: Maarten Visser via Wikimedia Commons
Companhias aéreas como a Emirates desempenham um papel importante na economia nacional de um país. Foto: Maarten Visser via Wikimedia Commons

 

 

Não essencial

 

Atualmente, alguns países não possuem uma transportadora de bandeira óbvia. Antes da Segunda Guerra Mundial, a Pan American World Airways era de fato a transportadora de bandeira dos Estados Unidos.

 

No entanto, a companhia aérea lutou para recuperar o poder após a guerra e a desregulamentação em 1978, ajudou outras empresas populares a emergir.

 

Isso causou o colapso de muitas companhias aéreas anteriormente populares , enquanto alguns afortunados cresceram para competir entre si.

 

Os EUA são um exemplo de por que muitos países não precisam de uma transportadora de bandeira oficial. Ao permitir um mercado livre, as companhias aéreas podem usar seu senso comercial para ajudar os motivos do país.

 

Há relatos contínuos de colapsos e aquisições de companhias aéreas. Existem também muitas novas transportadoras emergentes, oferecendo novas opções para os passageiros.

 

Com a aviação comercial passando por mudanças tão dinâmicas, podemos ver mais países mudarem de atitude em relação às transportadoras de bandeira. Você acha que é importante que um país tenha uma companhia aérea nacional?

 

 

Fonte: simpleflying.com

 

Veja também: passo a passo de como tirar o seu passaporte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Must Read

LATAM promove campanha Última Chamada com tarifas reduzidas para voos nacionais e internacionais

LATAM promove campanha Última Chamada com tarifas reduzidas para voos nacionais e internacionais A LATAM Airlines Brasil, iniciou às 17h desta sexta-feira (18) a campanha...

Latam Pass: Transfira pontos do programa Caixa e ganhe até 80% de pontos extras

Latam Pass: Transfira pontos do programa Caixa e ganhe até 80% de pontos extras    Fala galera, Latam Pass está oferecendo até 80% de bônus na...

Compre uma passagem para Doha e ganhe ingressos para o Mundial de Clubes da FIFA

Compre uma passagem para Doha e ganhe ingressos para o Mundial de Clubes da FIFA   Fala pessoal, a Qatar Airways está oferecendo ingressos para o...

Smiles dobra a validade das milhas voadas com a GOL

Smiles dobra a validade das milhas voadas com a GOL A partir de hoje, as milhas acumuladas em voos nacionais e internacionais GOL passam a...

Último dia! Transfira seus pontos do Itaú para o Latam Pass e ganhe até 80% de bônus

Transfira seus pontos do Itaú para o Latam Pass e ganhe até 80% de bônus     Fala pessoal, hoje é o último dia para aproveitar a...