Red Balloon indica destinos para intercâmbio mais acessíveis para brasileiros, como Cidade do Cabo e Austrália

Falar inglês é fundamental para se destacar e conseguir as melhores oportunidades, e realizar um intercâmbio é a melhor maneira para atingir a fluência.

 

Os Estados Unidos concentram 45% dos brasileiros que decidiram morar no exterior, segundo o Ministério das Relações Exteriores, mas a alta do dólar tem adiado o sonho de muitos.

Mesmo com o câmbio em níveis elevados, é possível estudar fora e ainda ter um aprendizado eficaz.

 

A Red Balloon (www.franquiaredballoon.com.br), em parceria com a NR Intercâmbio, indica alguns destinos mais acessíveis aos estudantes, além do famoso e caro país americano.

“A África do Sul, atualmente, é o país com melhor custo-benefício e imersão cultural, visto que poucos brasileiros vivem lá e são menores as chances de o estudante falar português em vez de treinar a língua inglesa”, diz Kito Vivolo, diretor da NR Intercâmbio.

 

O valor para ficar um mês com acomodação e curso é pouco mais da metade se comparado à Flórida, por exemplo, e a experiência como um todo será muito rica por ser um lugar com uma alta carga cultural e pouco conhecida no Brasil.

 

A moeda local também é uma das vantagens do destino. Um rand equivale a 25 centavos de real, dessa maneira o aluno pode realizar passeios, deslocar-se, comer e até mesmo fazer compras a um custo baixo.

 

O estudante pode praticar o inglês enquanto passeia e aprende mais sobre a história local em pontos turísticos como a Table Mountain, uma formação rochosa com mais de mil metros de altura, e o Waterfront, vilarejo de onde sai o passeio para Robben Island, ilha onde Nelson Mandela ficou 18 anos preso.

 

Do intercâmbio ao visto permanente

Nova Zelândia, Austrália e Irlanda são outros locais com custos mais acessíveis do que os Estados Unidos, que é o primeiro país que vem à cabeça quando se pensa em intercâmbio.

 

Desenvolvidos e com qualidade de vida elevada, ainda oferecem a oportunidade de trabalho e boas chances de conseguir o visto permanente – principalmente para os alunos que já possuem uma graduação ou especialização. Carreiras da área da saúde, engenharia e ciências da computação têm maior destaque.

 

Antes de embarcar em uma viagem a estudos, é importante analisar a questão financeira, estar atento às especificações que cada país exige, e se a localidade não é um polo de brasileiros, onde o viajante não terá a prática da língua estrangeira que deseja.

 

“Sempre recomendo para quem quer investir no intercâmbio procurar um especialista. Sabemos que, muitas vezes, a pessoa está usando uma reserva ou um FGTS para realizar esse sonho e receber a assessoria necessária fará com que ela não perca dinheiro nem frustre suas expectativas”, finaliza o parceiro da Red Balloon.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui