Air France-KLM toma medidas excepcionais em a continuação da crise do COVID-19

A crise do COVID-19 tem continuado a se espalhar nos últimos dias, levando muitos países a tomar medidas cada vez mais rigorosas na tentativa de diminuir a taxa de propagação da epidemia. Alguns países impuseram restrições ao movimento de viajantes da França, Holanda ou mais amplamente da Europa. Na França, a transição para uma emergência de saúde pública de nível 3 exige o fechamento de todos os serviços não essenciais desde o último final de semana.

Diante dessas restrições crescentes à possibilidade de viajar e de uma tendência forte de queda na demanda, que resultou em uma queda no tráfego e nas vendas nas últimas semanas, o Grupo Air France-KLM é obrigado a reduzir gradualmente sua atividade de voo de maneira significativa nos próximos dias, com o número de assentos/quilômetro disponível (ASK) potencialmente diminuindo entre -70% e -90%.

Quer receber conteúdo gratuito do Trechos e Milhas sobre viagens e milhas aéreas? Acesse nosso canal Telegram!

Atualmente, essa redução de capacidade está programada para durar dois meses, e o Grupo continuará monitorando a evolução da situação diariamente e, se necessário, ajustando-a.
Como resultado dessa redução de capacidade, a Air France aterrará toda a sua frota Airbus 380 e a KLM toda a frota Boeing 747.
Para lidar com essa situação, o Grupo já tomou várias medidas importantes para garantir seu fluxo de caixa:

•Medidas adicionais de economia foram identificadas, o que gerará € 200 milhões em 2020;


•Uma análise inicial do plano de investimentos reduziu o plano de investimentos em € 350 milhões, ao qual será adicionado o impacto do declínio da atividade no valor dos investimentos em manutenção;


•A Air France e a KLM consultarão seus representantes de funcionários sobre medidas para levar em conta o impacto do declínio esperado da atividade, incluindo um projeto para implementar a atividade parcial de trabalho;


•Na semana passada, o Grupo Air France-KLM desenhou uma linha de crédito rotativo no valor total de € 1,1 bilhão e a KLM desenhou uma linha de crédito rotativo no valor total de € 665 milhões. Em 12 de março, o Grupo e suas subsidiárias tinham mais de € 6 bilhões em caixa e equivalentes.

Apesar das medidas adotadas, a deterioração associada à epidemia e a forte redução de sua atividade levaram hoje o Grupo a prever uma trajetória financeira bastante deteriorada em comparação com as perspectivas apresentadas na publicação de seus resultados anuais no mês passado. De fato, o Grupo estima que a queda nas receitas do negócio de Passageiros resultante da redução de capacidade será compensada em cerca de 50% pela queda nos custos variáveis ​​antes das medidas de economia de custos.

Nesse contexto extremamente difícil, o Grupo Air France-KLM recebeu com satisfação as declarações dos governos francês e holandês, que indicaram que estavam estudando todos os meios possíveis para apoiar o Grupo.

Veja também: passo a passo de como tirar o seu passaporte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui