Viajar é uma das atividades mais prazerosas para se fazer durante as férias para aproveitar o tempo de descanso. Para que tudo corra bem, fazemos o planejamento sobre o destino, o deslocamento, a programação de passeios, mas algumas pessoas negligenciam o poder de levar uma farmacinha bem organizada e eficiente.

É claro que ninguém pensa em ficar doente, ainda mais durante as férias, mas gerenciar os medicamentos a serem levados numa viagem pode ser a diferença entre uma viagem cheia de diversão ou ter que cortar as férias ao meio e voltar para casa. Esquecer um medicamento importante pode resultar em uma visita de emergência ao hospital numa cidade estranha e até em outro idioma.

Fazer uma visita ao seu médico antes da viagem é imprescindível. Ele conhece seu histórico de doenças mais frequentes e verificará seu estado de saúde atual. Peça a ele uma receita com tudo o que precisará levar de acordo com o clima e a estação do ano no destino escolhido e a duração da sua viagem. Converse com o médico sobre a necessidade da prescrição de remédios com receita retida, como antibióticos por exemplo.

Se a viagem for de avião, coloque na bagagem de mão apenas os medicamentos que você não pode deixar de usar durante o período do voo, como os de uso contínuo para controlar hipertensão ou diabetes, e aqueles para alívio de dor, febre e enjoos, por exemplo. O restante dos remédios segue na bagagem despachada. O transporte de medicamentos líquidos na bagagem de mão deve seguir algumas recomendações:

Em voos nacionais é permitido embarcar com frascos de até 100ml por medicamento, em uma nécessaire ou em embalagens transparentes com fechamento hermético, devidamente vedadas e com capacidade máxima de 2 litros por pessoa.

Já em voos internacionais, os frascos também devem conter até 100ml cada, armazenados da mesma forma em embalagens ou bolsinhas transparentes, devidamente vedadas, porém, com capacidade máxima de 1 litro.

A farmácia de viagem deve ser dividida entre medicamentos de uso contínuo, que não podem ser esquecidos em hipótese nenhuma e aqueles que serão utilizados conforme os problemas forem acontecendo. Recomendamos que sejam comprados antes da viagem os medicamentos que tratam de doenças crônicas, como hipertensão, diabetes, depressão, alergias e também os que combatem infecções de repetição como por exemplo, otite e sinusite, que são os antibióticos. Os outros medicamentos podem ser comprados de acordo com a demanda durante a viagem.

Monte sua farmácia de viagem com cautela e responsabilidade, evitando carregar excesso de medicamentos que provavelmente não serão utilizados e farão peso extra na sua bagagem. Dependendo do seu destino de viagem, a maioria dos remédios poderão ser comprados em farmácias locais ou até mesmo nas grandes redes de supermercados. Converse com o farmacêutico do local para tirar suas dúvidas.

Uma farmacinha eficiente deve conter medicamentos para alívio de dor e febre, enjoos, gases ou dores abdominais, relaxante muscular, anti-inflamatórios, antigripais e descongestionantes, sprays ou pastilhas para garganta, antidiarreicos e laxantes, antialérgicos, colírios, remédios para dor de ouvido, hidratante, protetor labial, filtro solar e repelente. E não se esqueça do termômetro! Um pequeno kit de primeiros socorros com spray antisséptico, algodão ou gaze, band-aid, esparadrapo e tesourinha. E também o aparelho de pressão e medidores de glicose, se houver necessidade.

 

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui