EasyJet perde 9 milhões de dados de clientes para hackers

EasyJet perde 9 milhões de dados de clientes para hackers

A transportadora britânica EasyJet revelou que os dados de até nove milhões de seus clientes foram comprometidos. A companhia aérea descreve um ataque cibernético “altamente sofisticado” em seus sistemas, que divulgou endereços de e-mail e detalhes de viagens de milhões.

Mais de 2.000 dados de cartão de crédito roubados


A EasyJet tornou-se a mais recente companhia aérea a ser vítima de um crime cibernético. A companhia aérea diz que um sofisticado ataque cibernético levou a dados de nove milhões de passageiros vazassem.

Dos nove milhões de passageiros afetados, 2.208 tiveram seus dados de cartão de crédito roubados, relata o Guardian. A companhia aérea diz que entrará em contato com os clientes afetados diretamente nos próximos dias para avisá-los sobre o ataque.

Embora seja provável que isso seja profundamente preocupante para os clientes da companhia aérea, a EasyJet disse que não há evidências de que as informações pessoais tenham sido usadas de maneira alguma. Em comunicado divulgado pelo Guardian, o executivo-chefe Johan Lundgren disse:

“Gostaríamos de pedir desculpas aos clientes que foram afetados por este incidente.

“Desde que tomamos conhecimento do incidente, ficou claro que, devido ao Covid-19, há uma preocupação crescente sobre os dados pessoais serem usados ​​para golpes online. Como resultado, e por recomendação da OIC, estamos entrando em contato com os clientes cujas informações de viagem foram acessadas e aconselhando-os a serem mais vigilantes, principalmente se receberem comunicações não solicitadas. ”

Assessoria a clientes


A companhia aérea diz que encerrou o acesso não autorizado e está trabalhando com o Information Commissioner’s Office (ICO) e o National Cyber ​​Security Center. Ele disse que todos os nove milhões de passageiros serão contatados com conselhos sobre medidas de proteção para minimizar o risco de phishing em potencial.

Em comunicado, a companhia aérea disse:

“Estamos aconselhando os clientes a continuarem alertas como normalmente, especialmente se receberem comunicações não solicitadas.

A EasyJet não é a primeira companhia aérea a ser atingida por um ataque cibernético. Em 2018, a British Airways foi atingida por uma violação de dados que afetou cerca de meio milhão de passageiros. Como resultado, custou à companhia aérea uma multa substancial de £ 183 milhões.

Também em 2018, a Cathay Pacific sofreu uma enorme violação de dados, afetando 9,4 milhões de clientes e, em fevereiro deste ano, cerca de 80.000 passageiros da Transavia tiveram seus dados liberados por um ataque cibernético.

Veja também: Portugal reabrirá praias a partir de 6 de junho

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui