Etihad testa tecnologia para identificar passageiros com coronavírus

A Etihad Airways deve testar a nova tecnologia aeroportuária projetada “para ajudar a identificar viajantes em risco”, incluindo aquelas com pessoas nos estágios iniciais do Covid-19.

Desenvolvida pela empresa australiana Elenium Automation, a tecnologia sem contato pode monitorar a temperatura, frequência cardíaca e respiratória de qualquer pessoa que use um ponto de contato no aeroporto, como check-in ou quiosques de informações, instalações para entrega de malas, pontos de segurança ou portões de imigração.

Os passageiros cujos sinais vitais indicam possíveis sintomas de doença serão desviados “para uma teleconferência ou alertar pessoal qualificado no local, que pode fazer avaliações adicionais e gerenciar os viajantes conforme apropriado”.

A Etihad será a primeira companhia aérea a testar a tecnologia a partir do final deste mês. Inicialmente, isso será realizado com voluntários, seguidos pelos passageiros de saída quando os voos forem retomados.

Quer receber conteúdo gratuito do Trechos e Milhas sobre viagens e milhas aéreas? Acesse nosso canal Telegram!

A Elenium Automation diz que apresentou patentes tanto para a detecção automática de sintomas de doenças em um ponto de contato de autoatendimento de aviação quanto para a tecnologia de autoatendimento sem contato em um aeroporto, que, segundo ele, combinada “garantiria que exames de saúde possam se tornar padrão nos aeroportos, sem prejudicar a equipe com processos manuais ”.

“O sistema examinaria todos os indivíduos, incluindo várias pessoas na mesma reserva”, disse Aaron Hornlimann, CEO e cofundador da Elenium Automation.

“A tecnologia também pode ser adaptada a qualquer quiosque de aeroporto ou entrega de malas ou instalada como um sistema de desktop em um ponto de processamento de passageiros, como um balcão de imigração. Acreditamos que a introdução do autoatendimento sem toque e da triagem automatizada da saúde incentivará os passageiros a voltar a viajar mais cedo. ”

Enquanto isso, Jorg Oppermann, vice-presidente de operações de hub e meio-campo da Etihad Airways, disse:

“Esta tecnologia não foi projetada ou se destina a diagnosticar condições médicas. É um indicador de alerta precoce que ajudará a identificar pessoas com sintomas gerais, para que possam ser avaliadas por especialistas médicos, impedindo potencialmente a disseminação de algumas condições para outras pessoas que se preparam para embarcar em voos para vários destinos.

“Há muito que as aeronaves, com seus sistemas altamente sofisticados de reciclagem de ar e padrões de higiene, não são o veículo de transmissão de doenças. Estamos testando essa tecnologia porque acreditamos que ela não apenas ajudará no atual surto de COVID-19, mas também no futuro, com a avaliação da adequação do passageiro para viajar e, assim, com a minimização de interrupções.

“Na Etihad, vemos que este é outro passo para garantir que futuros surtos virais não tenham o mesmo efeito devastador sobre a indústria da aviação global que atualmente é o caso”.

Veja também: 15 dicas sobre o que fazer antes de viajar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui